o homem-rato

Capa Indrisos

Publicado na 1ª Antologia Internacional de Indrisos – 2011

 

o homem-rato

 

que Deus me ouça, mas nada diga

que a consciência pese, mas não me leve

que a dor se vá, mas a vida fique

 

o medo ronda estas paragens desde o pecado original.

 

não mais enxergo antes do pôr do sol

me alimento das sobras dos famintos

habito porões de verdades guturais

 

o flagelo impôs o galardão de minha insignificância.