Sobre

cropped-Daggadol_leve.jpg
jonas Daggadol caricaturizado por Vannie Gama

1976. 1997. 2011. 2014. 2015.

Está tudo aí. Fora isso, o tempo apenas passou.

E como! São quase 40 anos! E, apesar deste relacionamento tão longo, continuo tendo sérios problemas com isso, com ele, com o inflexível e intransigente tempo.

Resultado deste relacionamento tempestuoso, acabo lendo, vendo e ouvindo tudo muito tempo depois do lançamento. Livros, filmes, podcasts… tudo bem depois do burburinho que acompanho pelo twitter –  o único ponto real time da minha vida fora trabalho/lar.

Isso tem um lado bom, geralmente quando vejo/leio/ouço algo, não tenho mais a interferência do momento. Passou; as opiniões já foram dadas, o pau quebrou, os ânimos se arrefeceram, o maravilhamento se desfez. A onda se formou e se quebrou, deixando cardumes de opiniões inflamadas estendidos na areia; convalescentes, moribundos, economizando forças para a próxima contenda.

Tenho outros motivos também para criar o blog. Preciso reunir meus textos em algum lugar. Por vezes as pessoas me questionam onde podem ler mais, conhecer, saber quem é e o que escreve esse tal Jonas Daggadol. Está tudo aí no site, e vou acrescentando novos textos sempre que possível.

Para finalizar… como gosto da produção nacional! Como torço por este monte de autores que não me conhece e nem sabe que vibro a cada post, a cada tweet, a cada matéria exibindo o sucesso e progresso da nossa produção. Podcasts, filmes, romances, contos, poesia, curtas, hqs. Tudo! Fico realmente feliz quando consumo algo de qualidade com o selo “autor nacional” impresso no produto. E toda vez que bater esta felicidade, pretendo postar aqui no blog!

Bom, é isso, galerinha. Fico muito feliz em tê-los como convidados. A cada leitor ou leitora, autor ou autora, produtor ou produtora de conteúdo, desejo sorte e muito sucesso!